08/set
Copa de refugiados

Universidade brasileira oferece cotas para refugiados

08 / set
Publicado por Allan Nascimento em ATUALIDADES às 16:23

A situação dos refugiados em todo o mundo é um tema que vem ganhando cada vez mais espaço. O Brasil, segundo dados divulgados em julho pelo Comitê Nacional para os Refugiados (Conare), do Ministério da Justiça e Segurança Pública, já tem uma população de 9.552 expatriados. Os números mostram que somente em 2016 houve um crescimento de 12% de indivíduos nesta condição no País.

A temática, presente até em trabalhos recentes de artistas brasileiros como os Tribalistas e Chico Buarque (que fizeram citações à esta população em composições presentes em seus discos recém-lançados), traz à tona uma série de demandas novas de inclusão social.

Atenta a esta discussão, a Universidade Federal do ABC, instituição situada no ABC paulista, anunciou em julho passado que fará reserva de vagas para refugiados. As cotas para expatriados e solicitantes de refúgio com interesse em ingressar na graduação já serão válidas a partir do próximo Sistema de Seleção Unificada, o Sisu. As pessoas aptas a utilizarem o recurso devem se submeter neste ano ao Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) e realizar sua inscrição nos respectivos cursos por meio do Sisu.

LEIA MAIS

O Sete de Setembro ainda é questão de prova?
Universidade terá curso sobre Beyoncé
Cálculos no Enem estarão mais fáceis, prevê professor
Redação nota máxima: conheça o texto de Cecília Lima

Ao todo, serão reservadas 12 vagas nos campi de Santo André e São Bernardo do Campo, cidades que estão próximas à São Paulo: oito são para o bacharelado em Ciência e Tecnologia nas cidades de Santo André (duas no período diurno e duas no período noturno) e São Bernardo do Campo (duas no período diurno e duas no período noturno). As outras quatro vagas são para o bacharelado em Ciências e Humanidades em São Bernardo (duas vagas no período diurno e duas no período noturno).

Além disso, 50% dessas vagas são destinadas aos refugiados em situação de vulnerabilidade socioeconômica com renda per capita familiar inferior a um salário mínimo e meio (R$ 1.405). Caso não forem preenchidas, serão direcionadas aos demais refugiados e solicitantes de refúgio. Não há limitação de nacionalidades, e imigrantes não são contemplados nas cotas.


FECHAR